Siga por Email

30 de junho de 2011

A verdadeira história dos Super-Heróis

Alguns anos atrás escrevi a peça teatral chamada COMICS - a verdadeira história dos super-heróis. Foi um texto divertido que fez com que tivesse sucesso de bilheteria no Festival de Teatro de Curitiba. Lembrando os áureos tempos, acabei percebendo que existem segredos capazes de desmascarar estes próprios super-heróis...

- O incrível Hulk na verdade nasceu a partir da manipulação errada de anabolisantes e esteróides. A verdade é que ele queria participar do concurso de fisiculturismo, mas exagerou na dose de esteróides para cavalos e acabou com a cara do Shreck.

- O Capitão América foi um produto fabricado pelo exército dos Estados Unidos buscando o soldado perfeito. Com músculos, loiro, olhos azuis, roupa coladinha, botas e máscara confeccionadas por uma estilista internacional e um escudo que tem uma estrela... Soldado perfeito pra quem? Pra Barbie? Ele por acaso seria uma versão não autorizada do Ken? Pra mim ele era viciado em alguma droga pesada e foi reprogramado pra trincar os dentes em prol de uma ideologia estadunidense controladora. O Tio San diz: quer se drogar? Olha o que você vai virar...

- O Quarteto Fantástico era um grupo de amigos que fez uma festinha tão doida que se imaginaram no espaço injetando tanto ácido que viraram aberrações. Muita maconha fez lesões no cérebro deles e um não conseguia mais enxergar o outro... o outro pegava fogo, o outro se esticava tanto que parecia elástico... e o outro... era uma Coisa.

- O Homem de Ferro é a verdade máxima de um nerd filho de um trilhardário que ficava o dia inteiro em casa invadindo sistemas governamentais, como os sites brasileiros, e depois ficava se gabando no MSN assistindo MATRIX enquando tomava coca-cola. Adivinha quem inventou o I-PHONE e o I-PAD... o Homem de Ferro.

- O Homem-Aranha foi o resultado de uma vacina anti-aracnídea que deu efeitos colaterais, misturado a bebida e esteróides adolescentes para emagrecer. Peter Parker nunca foi fotógrafo, era um egocêntrico convencido que vivia batendo fotos de si e colocando no orkut. O Clarin Diário chupava essas fotos dele fantasiado de Aranha e distorceram o nome para Homem-Aranha.

- O Thor era um transformista performático que fazia shows com Tina Turner e depois com Madonna, mas com a queda deste tipo de mercado, ele decidiu fazer shows solos em club's europeus holandeses. Daí surgiu o mito de Thor, o Deus do Trovão. Por causa de um número dele que misturava rock que trovejava com performances aeróbicos bastante originais.

- Lanterna Verde era do PT até ser expulso do partido por não concordar com a política governamental de LULA. Ele saiu e acabou se juntando com Marina Silva no cenário político do PV, mas não teve muita expressão por ser tesoureiro da campanha dela com Guilherme Leal. Atualmente ele estuda a possibilidade de se mudar para a Amazônia e lutar por bandeiras sociais mais... verdes.

28 de junho de 2011

Bruce Willis é meu professor

Não canso de assistir aos filmes de Bruce Willis, ícone de ação e aventura da galera com mais de trinta... Bruce já foi o rato de uma série de TV, depois virou policial antológico em Duro de Matar e acabou sendo o morto mais impressionante do cinema americano aos olhos de Mr. Night Shyamalan. E sua obra... Quer dizer, sua filmografia ensinou muitas coisas a mim.

- Aprendi que casamento não é uma coisa fácil... Ora a esposa não entende a sua profissão como policial, ora ela não entende que você morre. (by Sexto Sentido, Duro de Matar 1, 2, 3 e 4)

- Aprendi que armas de fogo são legais... Até quando apontam pra você, afinal de contas, nada acontece quando atiram e você, mas você sempre saberá com mexer numa arma... (by Duro de Matar 1, 2, 3 e 4)

- Aprendi que o natal é uma data propícia para assaltos e terrorismo, principalmente quando ele tá por perto... (by Duro de Matar 1 e 2)

- Aprendi que sempre cabe uma piadinha entre um soco e outro... O cara gosta de fazer Stand Up enquanto atira nos bandidos... Sensacional... (by Duro de Matar 1, 2, 3 e 4)

- Aprendi que socos não machucam... Você pode levar coronhadas, pauladas, tijoladas na cara que nada acontece... No máximo você solta aquele gritinho do Guga quando saca... Uhh... (by Duro de Matar 1, 2, 3 e 4)

- Aprendi que casamento com a Demi Moore não dura... Ela gosta de brincar de Assédio Sexual e depois é capaz de virar pantera só pra posar de bandida... (by Assédio Sexual, Panteras 2)

- Aprendi que não precisa ter muita cultura, afinal de contas, é suficiente o que você escuta dos outros para resolver a trama que tá envolvido... (by Duro de Matar 1, 2, 3 e 4)

- Aprendi que uma dor de cabeça incomoda mais do que uma ameaça terrorista de explodir uma escola. (by Duro de Matar 3).

- Aprendi que máquina zero esconde a idade e as entradas de calvice na cabeça... (a carreira inteira depois de by Duro de Matar 3)

27 de junho de 2011

Esportes radicais do cotidiano

Hoje em dia a gente vive uma sociedade que é motivada a não ser motivada. Pra que caminhar se você pode ter um carro cada vez mais pequeno que caiba em todos os lugares? Pra que andar na rua se a academia tem uma esteira com televisão? Pra que cozinhar se você pode pedir qualquer coisa pelo telefone e o motoboy traz rapidinho? Mesmo assim, correndo contra a corrente... Eu pratico esportes radicais...

Eu como em fast food's...

Eu ando à noite no centro da cidade a pé por opção...

Eu jogo futebol todos os dias... No videogame...

Eu dirijo sem fazer o exame oftalmológico há dez anos...

Eu arrisco passar o cartão de crédito no final do mês...

Eu olho o saldo do banco negativo uma vez por semana...

Eu procuro vagas de estacionamento no shopping nos finais de semana...

Eu faço contorcionismo com o orçamento doméstico...

Eu faço aquecimento da cama depois das refeições...

Eu faço levantamento de estatística sobre os números da Megassena...


Esses esportes radicais são tão intensos que podem prejudicar a saúde dos aventureiros... Tais práticas requerem muita experiência e muita coragem... Se bem que hoje em dia, é obrigatório coragem pra viver em meio a tantos praticantes de esporte radical contemporâneo.

Datena é pop

Tivemos recentemente a mudança de paradigmas que chocou o mundo... Datena mudou de televisão... Mas não mudou de estilo... Me dá imagens da tragédia que assola esse Brasil de meu Deus! Ainda é o mesmo. Nada mudou... Quer dizer... Mudou, mas não mudou.

Pode ser meio confuso, mas Datena prova uma coisa pra todos... Não importa o tamanho da tragédia, o que importa é o tamanho do salário. Tá certo ele, por acaso vou ser hipócrita em dizer que dinheiro não importa? Valorização é fundamental para o profissional... Nessas horas queria ter dinheiro pra poder contratar o Datena pra fazer queima de saldão de estoque de loja popular no centro da cidade. Já pensou ele gritando: Cadê o secretário de segurança pública pra ver o preço dessa blusinha aqui na vitrine... É uma barbaridade o valor que essa calça tá custando... Datena ainda anunciaria um financiamento tão grande que só o Comandante Hamilton pra mostrar o fim disso tudo com as imagens aéreas.

O legal é trabalhar como redator do tele-prompter do Datena... Olá a todos, estamos ao vivo pela ___________ para todo o Brasil. E já temos imagens do Águia Dourada? Capitão Hamilton no ar pra mostrar pra gente mais uma tragédia. Meu Deus... é uma tragédia... Me dá imagens da tragédia... Vamos com o Capitão Hamilton... O melhor News Air do Brasil... Pode falar Capitão... O que você tá vendo aí de cima?

Para todas as situações, cabe esse texto. Para o aniversário da sogra, para a festa de casamento do cunhado, para o financiamento do carro na concessionária, para o relato do assalto de Carlos Manoel da Nóbrega... Para o momento que quiser, Datena dá o mesmo texto. Aí eu pergunto: Mudou alguma coisa? Mudou sim... O salário... Justíssimo... Se duvidar, até o ladrão assiste o Datena pra se ver na mídia, no estrelato.

Uma coisa é certa: Datena é pop.

Salário Mínimo ou Mínimo Salário

Salário Mínimo deveria se chamar Salário micro... Salário Dura Uma Semana... Salário Banco, afinal de contas, o salário é usado pra saldar dívidas. Tem gente que nem sabe o que é uma nota de dez reais, tudo ele paga no cartão de crédito, boleto bancário, carnê, e todo tipo de modalidade de pagamento possível. Conheci um cara esses dias que viveu a vida se preparando pra entrar no CEFET (atual UTFPR), mas conseguiu entrar no CERASA, CEPROC, SPC... Como viver com o piso salarial? Que país é esse que perde tanto dinheiro e recursos públicos com a corrupção e não consegue aumentar o mínino?

Pra você que não sabe como turbinar sua rentabilidade mensal, aqui vão dicas.

- Abra uma consultoria... Existem pessoas que enriquecem muito em tão pouco tempo, tudo bem que há outro determinante: a língua presa.

- Abra uma temakeria... Estudos estatísticos provam que as temakerias estão tão populares que há carros dos sonhos sendo substituídos por carros dos sushis... É o carro do temaki, freguesia... Temaki de nata, creme e goiabada, freguesia.

- Abra uma padaria... Dizem que quem cedo madruga, Deus ajuda... Até o momento não há relatos de padeiros com problemas na vida, porque os caras precisam acordar bem cedo pra assar o pão da galera.

- Abra um processo no Ministério do Trabalho por arritmia e peça aposentadoria por invalidez... Com as coisas que a gente come hoje em dia na rua, não é difícil ter problemas de hipertensão ou arritmia cardíaca.

- Abra uma imobiliária... Com a especulação que há hoje no mercado de imóveis, tem gente que deixou de ser correntista de bolsa de valores pra ficar gritando na esquina que tem imóvel na planta em promoção pelo programa do governo Minha Casa, Minha Vida.

- Abra uma Yogurteria... Tá quase como a Temakeria... Mais um pouco e passa...

É claro que quem vive de salário mínimo, tampouco vai conseguir guardar dinheiro pra empreender, a não ser que apele para financiamentos bancários. Aí, fica uns dez anos pagando o capital... É bonito isso acontecer num país onde o CNPJ tem a média de duração de dois anos antes de pedir falência ou desistir de trabalhar.

24 de junho de 2011

Meu amigo é gay (texto para os homens) e para as mulheres

Brincadeiras a parte, que me permitam os gays de brincar. Nada tenho contra gays além daquilo que eu teria contra os heteros. Tenho amigos gays e só não me tornei um gay por falta de vocação nessa área. Foi-se o tempo que a gente tinha a chancela pra ser precoceituoso... Ainda bem. Já pensou se a gente vivesse numa sociedade que não aprende com os próprios erros?

No entanto, apesar da minha certeza hetero, parece que quando comecei a andar com amigos homossexuais, acabei me tornando mais sensível. Sabe aquela pessoa que fica mais aberta a novas sensações? Tem homem que sua litros quando começa a se perceber mais gay. Acho bobagem, afinal de contas, somos todos HOMOS... Sapiens.

Todos nós viramos mais gays em nossas vidas. Quando vemos um filme e choramos, mesmo que seja filme de macho, acabamos nos emocionando... E aí aflora em seu ser o lado gay.

Agora a coisa começa a complicar quando você deixa o seu lado gay ficar mais solto, mais livre... Aí você começa a ficar muito gay. E quando a gente precisa segurar a onda?

- Quando você escutar Macho Man numa festa de empresa, não grite fininho e diga para os amigos que você adora essa música. Pega mal.

- Quando você vai comprar roupa e vê uma camisa rosa, não suspire dizendo que adorou a camisa. Apenas pegue a camisa e vá provar no provador... Não faça caras e bocas amando aquela camisa como se fosse a coisa mais importante do mundo... Guarde pra si toda essa explosão de sentimentos, porque isso é muito gay.

- Não comente com seus colegas o que assistiu na Ana Maria Braga, principalmente se for receita culinária ou a paella do Antônio Banderas... Primeiro de tudo, falar do Antônio Banderas é muito gay... Segundo, falar do programa da Ana Maria Braga é muito gay, por último... Falar de receita culinária é pra lá gay... A não ser que você diga que usa a gastronomia para desestressar, aí não é coisa de gay, mas coisa de formador de opinião... ou seja, chique pra caramba.

- Não brinque de passar a mão na perna do colega... Isso é o estágio supremo do descontrole gay.

- Não fale para as pessoas que você não acha nada demais em dizer que um homem é bonito... Sabe por quê? Quando a pessoa ouve isso, ela pode não dizer, mas em seus pensamentos tá ecoando a frase: Nossa, como ele é gay!

Não reclame do mau atendimento que as pessoas dão a você no comércio... Isso é muito gay... Homem não reclama disso, homem é bruto, homem é bronco, homem é grosso... Por isso, quando alguém trata o homem desta forma, ele acha que é comum, bacana, e sempre vai querer voltar ali. Se você prima pelo bom atendimento, ache um estabelecimento de sua preferência e guarde para você esses comentários. Afinal de contas, você não quer que as pessoas o enxerguem como elas enxergam Rick Martin.

- Não incentive seus amigos a casar. Casamento é coisa de... Você achou que eu iria escrever que casamento é coisa de gay, não é mesmo? Não é coisa de gay... Apesar de hoje os gays poderem casar. Casamento é coisa de tonto.

22 de junho de 2011

A Copa do Mundo não é uma graça, é uma desgraça!

A Copa do Mundo é um evento sensacional... Para o torcedor... Para o cidadão brasileiro, talvez não seja muito interessante. Só de orçamento, estamos falando de prováveis 6,8 bilhões de reais, praticamente tudo dos cofres públicos. Aí, não tem graça.

Peço licença, portanto, a você que veio pra cá pra rir... Esse tema ainda não me deu piadas, a não ser a grande comédia que a Copa de 2014 virou. Sabe por quê? Porque vivemos num país que não tem dinheiro pra aumentar o salário mínimo e bancar a previdência, não tem dinheiro pra investir em cultura e incentivo esportivo, não tem dinheiro pra estruturar as estradas e qualificar a malha ferroviária brasileira. Não tem dinheiro também pra revitalizar a estrutura de saúde com material humano e estruturação qualificada... Mas não se preocupe que o dinheiro para a Copa do Mundo, isso sim, isso tem... Dinheiro para as Olimpíadas de 2016, não se preocupe que a gente sabe de onde tirar: do tesouro nacional.

A Copa do Mundo no Brasil é como o dia dos Pais, quando o papai descobre na fatura do cartão de crédito o valor do presente que o filhinho deu. É como você descobrir que clonaram seu celular e agora a operadora quer receber o valor que você não gastou, mas está no seu nome a dívida.

Eu acho que as empreiteiras realmente comemoraram a Copa do Mundo de 2014 com verdade, mas e o cidadão? Que comemoração foi aquela? Quem deixou de pagar uma conta ou mudou a vida porque a Copa do Mundo veio para o Brasil. Claro que mexe com a autoestima brasileira. Eu também me senti mais valorizado como brasileiro, mas aí vem a conta da fatura e eu me pergunto: pra quê?

Não temos delegados em todas as delegacias. Temos um IML morto em Curitiba. Temos uma série de escândalos de corrupção por falta de fiscalização política, afinal de contas, estão preocupados em comprar tablets para o legislativo, mas fiscalisar a sociedade e a máquina pública não... Dá muito trabalho.

A gente poderia brincar de faz de conta... Que tal a gente fazer de conta que vivemos num país cuja soberania é protegida pela responsabilidade cívica. Não podemos fazer Copa do Mundo, beleza. Podemos nos estruturar pra poder não influenciar os investimentos sociais e trazer realmente o evento mais importante do planeta. Legal, a Copa veio porque o país se comprometeu. Mas não, vivemos ainda aquela consciência de se endividar irresponsavelmente. O governo brasileiro e a CBF se comportou como aquela pessoa que acabou de pegar o crédito e estourou tudo de uma vez só sem saber como vai pagar a conta.

Como que a gente vai comemorar a Copa do Mundo de 2014 se ainda nos comportamos como capitanias hereditárias e nos comportamos como vikings a machadadas, pontapés e tijoladas.

Desculpe, mas hoje não faço graça... Só comento desgraça.

21 de junho de 2011

Leitura obrigatória

Esses dias eu estava lendo um artigo sobre as 1001 leituras obrigatórias antes de morrer... Linda o tema... De uma motivação interessante de leitura. 

Hoje a leitura no Brasil está associada ao filme que estreia no cinema. Leu aquele livro? - Não, mas vi o filme! Tudo bem que há filmes muito mais fascinantes que livros. É o caso dos best sellers que não vou citar aqui pra turma teen não me xingar, mas tem a ver com emos e vampiros. Mas um bom livro é o princípio de um pensamento livre. Ou de uma hemorróida latejante cada vez mais toda vez que você demora mais do que o necessário no banheiro.

Refleti sobre isso e percebi que no Brasil, esse tipo de assunto gera desconforto, afinal de contas, a média de leitura na vida de um brasileiro são dois livros, e a maioria dessas leituras não são feitas em bibliotecas ou salas de leituras, mas em vasos sanitários. Acredito que a biblioteca teria mais adesão se ao invés de ter poltronas de leitura, fossem instaladas aqueles chiqueirinhos de banheiros pra galera ficar ali pensando, enquanto faz a tal leitura. Então, resolvi dizer a minha lista de leituras obrigatórias antes de morrer:

- Edição 100 da antiga revista do Homem Aranha, quando Peter Parker se casa com Mary Jane depois de ficar umas dez edições anteriores dando uma de virgenzinha que não queria colocar a amiga em perigo.

- Qualquer revistinha da Turma da Mônica.

- Uma bula de remédios.

- Os dez mandamentos do ócio, pois ensina você a perder mais tempo do que realmente tem para perder.

- Manual de instruções do carro. Ali tem informações pra você não estourar o carro na primeira semana que tira da loja de carros.

- A programação da televisão. Porque é muito chato a gente ficar zapeando pelos canais sem saber o que tá passando. Pior ainda quando pega o programa ou o filme pela metade.

- A revista do banheiro que está no bidê ou embaixo da pia. Isso sim é leitura obrigatória, não importa o que seja, vale até catálogo de promoções de supermercado.

- Uma fábula qualquer, pra você citar essa fábula em alguma conversa em seu trabalho e demonstrar que você faz associações profundas em argumentações de vendas... ou não.

- O pequeno príncipe... Porque você precisa dizer para as pessoas que o livro de sua vida é um clássico sugerido pelo consciente coletivo.