Siga por Email

22 de junho de 2011

A Copa do Mundo não é uma graça, é uma desgraça!

A Copa do Mundo é um evento sensacional... Para o torcedor... Para o cidadão brasileiro, talvez não seja muito interessante. Só de orçamento, estamos falando de prováveis 6,8 bilhões de reais, praticamente tudo dos cofres públicos. Aí, não tem graça.

Peço licença, portanto, a você que veio pra cá pra rir... Esse tema ainda não me deu piadas, a não ser a grande comédia que a Copa de 2014 virou. Sabe por quê? Porque vivemos num país que não tem dinheiro pra aumentar o salário mínimo e bancar a previdência, não tem dinheiro pra investir em cultura e incentivo esportivo, não tem dinheiro pra estruturar as estradas e qualificar a malha ferroviária brasileira. Não tem dinheiro também pra revitalizar a estrutura de saúde com material humano e estruturação qualificada... Mas não se preocupe que o dinheiro para a Copa do Mundo, isso sim, isso tem... Dinheiro para as Olimpíadas de 2016, não se preocupe que a gente sabe de onde tirar: do tesouro nacional.

A Copa do Mundo no Brasil é como o dia dos Pais, quando o papai descobre na fatura do cartão de crédito o valor do presente que o filhinho deu. É como você descobrir que clonaram seu celular e agora a operadora quer receber o valor que você não gastou, mas está no seu nome a dívida.

Eu acho que as empreiteiras realmente comemoraram a Copa do Mundo de 2014 com verdade, mas e o cidadão? Que comemoração foi aquela? Quem deixou de pagar uma conta ou mudou a vida porque a Copa do Mundo veio para o Brasil. Claro que mexe com a autoestima brasileira. Eu também me senti mais valorizado como brasileiro, mas aí vem a conta da fatura e eu me pergunto: pra quê?

Não temos delegados em todas as delegacias. Temos um IML morto em Curitiba. Temos uma série de escândalos de corrupção por falta de fiscalização política, afinal de contas, estão preocupados em comprar tablets para o legislativo, mas fiscalisar a sociedade e a máquina pública não... Dá muito trabalho.

A gente poderia brincar de faz de conta... Que tal a gente fazer de conta que vivemos num país cuja soberania é protegida pela responsabilidade cívica. Não podemos fazer Copa do Mundo, beleza. Podemos nos estruturar pra poder não influenciar os investimentos sociais e trazer realmente o evento mais importante do planeta. Legal, a Copa veio porque o país se comprometeu. Mas não, vivemos ainda aquela consciência de se endividar irresponsavelmente. O governo brasileiro e a CBF se comportou como aquela pessoa que acabou de pegar o crédito e estourou tudo de uma vez só sem saber como vai pagar a conta.

Como que a gente vai comemorar a Copa do Mundo de 2014 se ainda nos comportamos como capitanias hereditárias e nos comportamos como vikings a machadadas, pontapés e tijoladas.

Desculpe, mas hoje não faço graça... Só comento desgraça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário