Siga por Email

19 de abril de 2011

Guia prático de sobrevivência à vida de solteiro

Quando o homem chega a uma certa idade, quer sair de casa, lá pelos 40... Quando o pai não aguenta mais o filho em casa comendo, bebendo, dormindo e fazendo aquilo que ele não faz há anos: ficar trancado no quarto com a namorada por horas. Depois da mãe quase morrer, do pai quase matar, o cara sai de casa. Mas a vida de solteiro é dura, complicada, cheia de desafios antes impensáveis. Aqui está dicas pra você não sofrer tanto com esse choque de cultura. Ou mesmo pra você que está ajudando um amigo... Ou você que é mãe e se preocupa com o menino querido, porque o pai tá estourando foguete comemorando a saída do cara que ele criou há quarenta anos e agora vai deixar o banheiro de casa só pra ele.

1) Quando você estiver em casa e a luz acabar, mas a luz do seu vizinho estiver acesa, quer dizer que você esqueceu de pagar a conta. Geralmente, quando o cara vai morar sozinho, ele descobre que as contas precisam ser pagas... da pior maneira possível. Tomando banho, na frente da televisão assistindo àquele jogo de futebol do seu time, telefonando para o disque pizza.

2) Toda vez que você usa a louça e larga na pia da cozinha, ela não vai se lavar sozinha. A não ser que você tenha um amigo imaginário bastante solícito. Talvez um dia seja possível adestrar a louça para ela mesma tomar seu banho depois que você a usar, mas aí a gente tá falando de um mundo de Matrix, onde máquinas persuadem humanos.

3) Quando você abrir o guarda-roupas e não achar mais as suas roupas, quer dizer que elas estão todas no cesto de roupas sujas do banheiro. Aí você tem que pegar aquela camisa de político, o calção de banho (aquele que você usa pra ir até a praia) e um chinelão. O passo seguinte é procurar uma lavanderia, porque você nem sabe o que é uma máquina de lavar.

4) Existe vida após o miojo. Sim. A pizza... Ou qualquer outro alimento que se entrega via disque alguma coisa.

5) Contrate uma diarista ou gaste com o motel. Você que sabe. Se optar por uma diarista, terá um ambiente intimista, mas se quiser o motel, terá uma relação superficial. Cada caso tem sua valorização.

6) Quando queimar um chuveiro, estourar um cano, entupir um vaso sanitário, você vai dar valor ao seu pai. Era ele que resolvia tudo isso antes.

7) Quando der aquela dor de cabeça, ficar com aquela dor de ouvido, ter aquela dor de barriga, não adianta ficar enfermo na cama entregue para o destino. A sua mãe não vai entrar no quarto, porque ela tá na casa dela. Você deve tentar se socorrer. Se o celular estiver longe, o jeito é caminhar até a farmácia mais próxima e pedir um comprimido para dor ou gripe. Para casos mais sérios, pegue um taxi e vá para o hospital. É muito mais dramático ligar do hospital para a sua mãe e dizer que você tá na emergência.

8) Se a sua casa for arrombada e levarem tudo que era seu, você vai lembrar que o seguro residência poderia ser mais interessante se você não tivesse negado aquela pequena taxa de débito em sua conta corrente. Quando arrombaram a casa do seu pai antigamente, você não deu muito valor, até porque não roubaram nada daquilo que estava no seu quarto. Mas o seu pai ficou uma semana deprimido. E você achou que o cara era muito consumidor.

9) Se você tiver um cachorro, um gato ou qualquer outro bicho de estimaçã e encontrar ele morto e esorricado no meio da sala, quer dizer que você nunca alimentou o bicho. Afinal de contas, quando você morava na casa da sua mãe, você nunca tinha feito isso pelo seu animal de estimação. Parece que ele morreu no meio da sua sala por protesto.

10) Se depois de um mês você não se adaptar, volte para a casa da mãe... Ela vai amar você, mas o seu pai vai querer a sua caveira. O jeito é ele construir uma casa maior, alugar um apartamento do lado dele ou qualquer outra solução que ele tenha, mas que não afete sua condição de vida. Afinal de contas, você não pediu pra nascer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário